• | Você está ouvindo: Rádio PWZ

HOME / Notícia / Presidente da CBDA é preso pela PF

Presidente da CBDA é preso pela PF

06/04/2017
Araraquara / SP
Jonas Bezerra
Foto: Satiro Sodré/SSPRESS

De acordo com o portal www.oglobo.oglobo.com, a Polícia Federal realizou nesta manhã (6), a operação Águas Claras, que apura esquema de desvio de recursos públicos na Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA). Três pessoas já foram presas, entre elas o presidente afastado da CBDA, Coaracy Nunes, e quatro foram conduzidas coercitivamente a unidades da PF em São Paulo e no Rio.

Braço direito de Coaracy, Ricardo de Moura negou que esteja foragido. Coaracy estava à frente da CBDA desde 1988.

Além de Coaracy, foram presos o diretor financeiro, Sérgio Ribeiro Lins de Alvarenga, e o coordenador técnico do polo aquático, Ricardo Cabral.

Outros 16 mandados de busca e apreensão também foram cumpridos. As medidas foram expedidas pela 3ª Vara Criminal Federal de São Paulo. As investigações apuram o destino de cerca de R$ 40 milhões repassados à CBDA.

O trabalho é fruto de parceria entre a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, com a participação da Controladoria-Geral da União e iniciou-se após denúncias de atletas, ex-atletas e empresários do ramo esportivo brasileiro.

No Rio, um dos locais visitados pela PF foi a agência de turismo Roxy, no centro. Ninguém foi encontrado no local, e os agentes entraram na agência com o auxílio de um chaveiro da região.

Há indícios de um esquema de desvios de recursos públicos captados por meio de convênios e leis de fomento ao esporte, sem a devida aplicação - conforme previsto em lei e nos contratos assinados. Segundo o inquérito policial, ao invés dos valores recebidos serem aplicados corretamente, os recursos eram mal geridos ou desviados para proveito pessoal dos investigados.

Em 22 de março, o Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), determinou o afastamento da atual diretoria da CBDA. Na decisão, foi destacado que o mandato de presidência de Coaracy Nunes expirou no dia 9 de março. Apesar disso, não houve escolha de um sucessor.

Segunda ainda o portal, Antes da operação deflagrada pela PF nesta quinta-feira, a CBDA comemorou uma vitória na justiça na noite de quarta-feira. A entidade ganhou, por unanimidade, o recurso no Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que confirmou a decisão anterior do Desembargador Nery da Costa Junior, contra denúncia de fraude no órgão.

Em setembro do ano passado, o Ministério Público Federal (MPF/SP), protocolou uma ação de improbidade administrativa contra a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), três de seus diretores e dois coordenadores de modalidades esportivas.

Segundo a procuradoria, teria havido fraude na compra de equipamentos para treinamento de atletas para os Jogos Rio-2016. A verba teria sido repassada a uma empresa “fantasma” em cujo endereço funcionaria uma pet shop. Na defesa, o advogado Marcelo Franklin alegou que a justiça de São Paulo não poderia julgar aquela ação e que todos os equipamentos comprados foram utilizados nos treinamentos dos atletas. Além disso, a mudança de endereço da fornecedora, sem o registro na Junta Comercial, não configuraria ilegalidade.

Galeria de Fotos

Comentário(s) - 0

Seja o primeiro a comentar.